quarta-feira, 31 de outubro de 2012

10 Filmes sobre Gravações Encontradas


Virou clichê em filmes atuais, o recurso de começar com misteriosas gravações encontradas, onde estão fatos geralmente assustadores que vitimou todos os envolvidos.
Mas não são só filmes de terror a utilizar este recurso.
Muitas vezes ele é usado para dar veracidade aos fatos, mas outras são claramente uma forma de economizar na produção.
Existe uma lista anterior, com "10 Falsos Documentários", que já mencionava alguns desses filmes e por isso mesmo não vou repeti-los nesta aqui.
Esta lista traz 10 filmes que utilizaram bem este recurso, de maneiras variadas.

1.  O Homem Urso (durante anos o ecologista Timothy Treadwell passou seus verões no Alasca, pesquisando os ursos pardos. nos últimos cinco anos do seu trabalho, ele gravou esses encontros. em outubro de 2003, seus restos mortais e de sua namorada foram encontrados, junto com centenas de horas de filmagens. a partir delas, o cineasta Werner Herzog montou o quebra cabeças da vida e morte deste personagem intrigante num documentário premiado e genial. o único caso real desta lista)

2.  Poder Sem Limites (um rapaz impopular na escola e com problemas em casa decide gravar seu duro cotidiano. um dia, após ser expulso de uma rave, ele vai com dois amigos filmar um misterioso buraco surgido numa floresta, lá dentro encontram um grande objeto luminoso e a gravação é interrompida. após este incidente, eles se dão conta que adquiriram poderes como a telecinese e aos poucos aprendem a controlar suas novas habilidades. um filme de superheroi diferente, mas o recurso da filmagem caseira, cheia de closes e câmera em movimento cansa um pouco)

3.  Tesis, Morte ao Vivo (uma estudante de audiovisual está desenvolvendo uma tese sobre violência nos filmes, quando encontra na faculdade um vídeo perturbador, onde uma moça é espanca e esquartejada até a morte diante da câmera. ela percebe tratar-se de um snuff film, uma gravação real e que a vítima era uma antiga aluna. em busca de resposta, encontra outras fitas e se vê envolvida numa trama perigosa. primeiro longa do espanhol Alejandro Amenábar, muito bom)

4.  O Caçador de Troll (o governo norueguês esconde a existência de um grupo de trolls numa reserva natural, mas um grupo de estudantes destemidos e sem juízo resolvem ir atrás dos monstros lendários e documentar a aventura em vídeo. um filme de monstros diferente e muito interessante)  

5.  Dia Zero (dois amigos prestes a se formar no secundário começam a gravar o vídeo de um projeto que eles pretendem realizar. aos poucos ficamos sabendo que eles adquirem armas, aprendem a atirar e logo revelam seu plano de perpetrar um massacre em sua escola no primeiro dia em que fizer zero grau ao amanhecer. um bom filme barato e criativo, com um ótimo uso do founding footage)  

6.  Holocausto Canibal (terror trash de 1980 do italiano Ruggero Deodato. conta a história de quatro documentaristas que se embrenham na selva amazônica para filmar indígenas e desaparecem. meses mais tarde, um antropólogo vai à floresta numa missão de resgate e encontra latas de filmes onde está gravado o trágico - e muito sangrento - destino dos cineastas. precursor do gênero, chegou a ser acusado de ser um filme snuff, o que só ajudou no seu sucesso)

7.  8mm - Oito Milímetros (Nicolas Cage é um detetive particular contratado por uma viúva, que encontrou no cofre do marido um filme de 8mm, que parece ser um snuff, onde uma jovem é morta violentamente e quer saber se o filme é verdadeiro. na investigação ele acaba descobrindo uma verdadeira indústria deste tipo doentio de filmes. um bom thriller de Joel Schumacher)

8.  A Entidade (Ethan Hawke é um escritor de um único sucesso, que busca inspiração para seu novo livro. para isso, muda-se com a família para uma casa onde ocorreu o assassinato de uma família inteira. no sótão da casa encontra filmes de 8mm, cada um com imagens da morte violenta de uma família diferente, incluindo a que viveu naquela casa. poderia ser um bom filme, não fosse a mão pesada do diretor Scott Derrickson)

9.  V/H/S (uma coletânea de seis contos de terror, dirigidos por diferentes diretores - o mais conhecido é Ti West, de The Innkeepers - todos com o tema de founding footage. a trama é amarrada pela história de um grupo de ladrões, que costumam filmar seus crimes e são contratados para invadir uma casa e pegar uma fita VHS, que eles não sabem o que contém. mas na casa existem muitas fitas, onde estão imagens perturbadoras, muito badalado e promovido em festivais, o filme é irregular, como seria de se esperar) 

10.  Desaparecidos (seis jovens são convidados para uma festa vip em Ilhabela e cada um recebe uma câmera para gravar suas versões da viagem. mas eles desaparecem e as autoridades encontram apenas as câmeras onde está gravado o terror pelo qual passaram. dirigido por David Schürmann - da família de velejadores - é o primeiro filme brasileiro do gênero)


Menções honrosas: os filmes constantes da lista de Falsos Documentários: "A Bruxa de Blair", "Cloverfield", "Rec", "Atividade Paranormal" e "Contatos de 4º Grau".

Veja ainda: "10 Filmes Futuristas"


terça-feira, 23 de outubro de 2012

10 Filmes Bizarros


Mas afinal, o que são filmes "bizarros"?
São aqueles que nos causam estranhamento ou, por vezes desconforto, por fugirem da narrativa tradicional, tirando nossos cérebros de sua zona de conforto.
Alguns consideram esses filmes obras geniais, outros grandes bobagens.
Muitos filmes que exploram o universo onírico poderiam fazer parte desta lista, outros especialmente chocantes também.
Alguns cineastas são viciados neste recurso, por isso limitei a um filme de cada autor.
Algumas obras desta lista de 10 são realmente estimulantes, outras são bem difíceis de assistir.
Sugestões de mais esquisitices serão bem vindas nos comentários.

1.  Brand Upon the Brain! (Guy Maddin, 2006. dois irmãos vivem no farol de uma ilha onde seus pais administram um orfanato. gravado em super8 em preto e branco e sem diálogos, o filme tem o formato de lembranças distantes e um roteiro de ficção científica absurda. uma obra experimental interessante e estimulante, vale conhecer)

2.  Mistérios e Paixões / Naked Lunch (David Cronenberg, 1991. na Nova York dos anos 1950, um aspirante a escritor sobrevive vendendo inseticida. mas está prestes a perder o emprego, pois sua esposa está viciada e consome todo o estoque. ele resolve experimentar e começa a ter alucinações onde pessoas e objetos transformam-se em insetos gigantes. o cineasta canadense é autor de outros filmes estranhos como 'Crash' e 'Videodrome', mas neste filme, baseado em livro de William S. Burroughs, se superou)

3.  Eraserhead (David Lynch, 1977. estreia de Lynch na direção já antevia suas futuras esquisitices e sua genialidade. um operário é obrigado a casar-se com a namorada grávida, ela dá a luz a um bebê mutante e o abandona para que ele cuide sozinho da criatura. feito em preto e branco, tem sequências memoráveis, como o fígado cru feito em forma de frango assado que é obrigado a comer. perturbador e marcante)

4.  Afogando em Números (Peter Greenaway, 1988. três mulheres, mãe, filha e sobrinha, insatisfeitas com seus  maridos afogam os respectivos encobertas pelo plano de um legista que é apaixonado por elas. enquanto os fatos acontecem, as cenas são numeradas de 1 a 100. o galês Greenaway criou sua própria linguagem cinematográfica, sempre com rica direção de arte barroca, fotografia brilhante e uma queda pelo nonsense)

5.  A Montanha Sagrada (Alejandro Jodorowsky, 1973. quando se fala em bizarro não pode faltar o mestre, autor também de 'Santa Sangre'. o diretor chileno, polêmico e reverenciado nos anos 1970 gosta mesmo de chocar. nesta sua obra-prima um Jesus raivoso percorre uma via crucis profana, acompanhado de um anão mutilado, crianças nuas, animais fantasiados ou mortos, imagens dele mesmo, até encontrar um guru que o apresenta sete poderosos indivíduos respresentado o sistema solar e juntos vão em busca da tal montanha sagrada. são quase duas horas de fartas bizarrices e sacrilégios)

6.  Dublê de Anjo / The Fall (Tarsem Singh, 2006. o indiano Tarsem foi para Harvard estudar e nunca mais voltou. começou dirigindo videoclips e chegou ao cinema, onde começa a ser notado. dirigiu 'A Cela' e 'Os Imortais', mas a melhor mostra do seu trabalho é esta fantasia colorida e extravagante, como os filmes de Bollywood. num hospital de Los Angeles, nos anos 1920, um dublê ferido e uma garotinha de braço quebrado tornam-se amigos, quando ele começa a contar histórias fantásticas, que ela interpreta de maneira ainda mais onírica. o roteiro tem lá seus furos, mas não dá para negar que o visual é deslumbrante)

7.  Contraponto / Tideland (Terry Gilliam, 2005. um dos criadores do Monty Python, Gilliam sempre gostou de excentricidades nos filmes que dirigiu, vide 'Brazil', 'Doutor Parnassus' ou 'Barão Munchausen', mas neste de 2005 ele se superou, levando a bizarrice além do limite do suportável. após a morte da mãe por overdose, uma garota e seu pai drogado mudam-se para a fazenda abandonada da família, onde o pai também morre. sozinha, a menina cria um mundo de fantasia com animais falantes, cabeças de bonecas e vizinhos ainda mais estranhos que ela)

8.  Sr. Ninguém (Jaco Van Dormael, 2009em um futuro não muito distante, Nemo Nobody tem 118 anos de idade e é o último mortal a conviver com as pessoas imortais. um filme sobre física quântica, espaço-tempo, dimensões paralelas... enfim, um filme complicado e... agradável. a história é formada de clips que se intercalam, encerrando-se em si ou formando um grande mosaico. é como se cada clip fosse interessante sem a necessidade da conclusão. um roteiro bem feito, bom bonito, ótima fotografia, tudo contribui para um filme diferente do que estamos acostumados a ver. o belga Dormael é autor do também ótimo 'Totó, o herói')

9.  Um Cão Andaluz (Luis Buñuel, 1929. pioneiro dos filmes bizarros, este curta metragem - de cerca de 21 minutos - foi o primeiro da parceria dos do jovem diretor espanhol com o surrealista Salvador Dali. traz cenas icônicas do cinema, como a mão de onde brotam formigas e o olho sendo cortado por uma navalha. quando foi lançado causou grande impacto, ficando 8 meses em cartaz em Paris)

10.  Cabeças Cortadas (Glauber Rocha, 1970. depois de ser premiado melhor diretor em Cannes, Glauber teve a oportunidade de dirigir dois filmes no exterior, este na Espanha e 'O Leão de Sete Cabeças' na África. o diretor baiano usava frequentemente narrativas não-lineares e sequências simbólicas ou metafóricas para expor suas idéias. Em Cabezas Cortadas imaginou um encontro entre os ditadores Franco e Perón num castelo em algum lugar do terceiro mundo. um filme provocativo e onírico)

Menções honrosas: Pi, Satantango, Delicatessen, Os Idiotas, Fausto, Quero Ser John Malkovich, Rocky Horror Picture Show, Donnie Darko, Encaixotando Helena, A Centopeia Humana, Saló ou Os 120 Dias de Gomorra, Santa Sangre, Tio Bonmee que Pode Recordar suas Vidas Passadas, Freak Orlando, Wild Tiger We Know, O Futuro, Cine Socialismo, Tabu...

Veja ainda: "10 Filmes Futuristas"  

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

10 Filmes de Morgan Freeman


"Is there a better actor in America than Morgan Freeman?" (Pauline Kael)

Nascido em Memphis, Tennessee em 1 de junho de 1937, filho de uma professora e um barbeiro, Morgan e sua família mudaram várias vezes de cidade em sua infância.
Mesmo começando cedo a destacar-se no teatro escolar, Freeman passou quatro anos como mecânico na Aeronáutica antes de efetivamente dedicar-se à interpretação.
Premiado por várias peças nos anos 1970, Freeman só teria um papel de verdade no cinema em 1980, em "Brubaker", como um presidiário ao lado de Robert Redford. 
Em 1987, já aos 50 anos, veio a consagração com sua primeira indicação ao Oscar, no papel de um cafetão em "Armação Perigosa".
Hoje, com quase 100 filmes no currículo de ator e mais de 50 prêmios, além da direção do bom "Bopha!", Morgan é um dos mais respeitados atores americanos e ainda tem muito a dar para o cinema, com seis filmes em produção.
Chegar à lista com 10 de seus filmes não foi muito fácil, diante de tantas atuações marcantes, pois mesmo em filmes ruins, sua presença ilumina a tela. Mas aqui está ela:

1.  Invictus (enfrentando muitas dificuldades em seus primeiros anos como presidente da África do Sul, Nelson Mandela convoca o capitão do time nacional de rugby, um esporte tradicionalmente de brancos, para ganhar a copa do mundo do esporte e, com isso, unir as populações branca e negra em torno do esporte. um filme inspirador e emocionante, dirigido por Clint Eastwood, com uma performance excepcional de Morgan Freeman, que lhe valeu a quinta indicação ao Oscar)

2.  Um Sonho de Liberdade (Tim Robbins é um jovem banqueiro condenado injustamente pelo assassinato da esposa. no ambiente hostil da prisão, faz amizade com um velho prisioneiro - Freeman -, que controla o mercado negro local e acaba ganhando o respeito dos demais detentos. dirigido e roteirizado por Frank Darabont com base num conto de Stephen King, o filme teve sete indicações ao Oscar, incluindo a de Freeman como melhor ator e sustenta há anos o primeiro lugar no ranking do IMDb)

3.  Menina de Ouro (Clint Eastwood é um veterano treinador de boxe, que é convencido pelo velho amigo - Freeman -, a quem treinou na disputa pelo título mundial há muitos anos, a aceitar treinar uma garota esforçada e talentosa. triste e pungente, o filme ganhou quatro Oscars, incluindo melhor filme, direção para Clint, atriz para Hillary Swank e ator coadjuvante para Morgan)

4.  Conduzindo Miss Daisy (nos anos 1950, após destruir o jardim do vizinho com seu carro, uma velha senhora judia é obrigada pelo filho a aceitar um motorista negro para dirigir por ela. inicialmente resistente, ela acaba se conformando e aos poucos nasce uma grande amizade entre eles, que duraria décadas. um filme supervalorizado de 1987, mas com belas interpretações da dupla central. vencedor do Oscar de melhor filme, roteiro, maquiagem e atriz para Jessica Tandy e a segunda indicação para Morgan Freeman)

5.  Armação Perigosa (Christopher Reeve é um jornalista de tablóide, prestes a perder o emprego, quando promete uma história bombástica sobre prostituição em Nova York sem conseguir fontes, ele resolve inventar a história de um cafetão. o problema começa quando a polícia acredita que a história é real e. pior, um cafetão de verdade - Freeman - acha que a matéria é sobre ele e ambos pressionam o jornalista. bom filme que deu a Morgan sua primeira indicação ao Oscar e ao Golden Globe)

6.  Seven, os Sete Crimes Capitais (dois detetives, um novato e um experiente - Brad Pitt e Freeman - são destacados para investigar os crimes de um serial killer, que usa os sete pecados capitais como roteiro para seus assassinatos. grande sucesso de público e crítica, revelou ainda o talento do ótimo David Fincher)

7.  Beijos que Matam (um psicólogo forense de Washington - Morgan Freeman - fica sabendo que sua sobrinha universitária na Carolina do Norte desapareceu e vai investigar. descobre que a polícia acredita que ela pode ser vítima de um sequestrador que "coleciona" belas garotas, mantendo-as em cativeiro. com a ajuda de uma médica, que fugiu do criminoso - Ashley Judd - começa a investigar o caso. bom thriller, com uma ótima e grave interpretação de Freeman)

8.  Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (na épica série de filmes de Christopher Nolan e estrelada por Christian Bale, Morgan Freeman tem um papel importante, ele é Lucius Fox, guardião dos segredos científicos da fundação Wayne e criador de todos os aparatos tecnológicos do morcego. três ótimos filmes e uma ótima presença do ator)

9.  Enfermeira Betty (Renée Zellwegger é uma jovem garçonete casa, mas apaixonada pelo personagem de uma novela vespertina. quando seu marido é morto por traficantes, ela passa a viver como se fosse um personagem da novela e parte para Hollywood para encontrar o médico de seus sonhos. mas é perseguida por um matador, contratado para eliminá-la. boa comédia de humor negro de Neil LaBute e mais um personagem marcante de Freeman)

10.  Robin Hood, o Príncipe dos Ladrões (neste veículo para Kevin Costner, Morgan interpreta seu amigo mouro, que na volta das cruzadas torna-se seu braço direito na luta contra a tirania do xerife de Nottingham. Freeman é a melhor coisa do filme, numa interpretação bem humorada e bastante física, com várias cenas de ação)

Menções honrosas: Tempo de Glória, Todo Poderoso, Os Imperdoáveis, Crimes em Primeiro Grau, A Soma de Todos os Medos, Impacto Profundo, Red Aposentados e Perigosos, Na Teia da Aranha, Amistad, Meu Mestre Minha Vida, Antes de Partir, Sob Suspeita, Um Lugar para Recomeçar, O Poder de um Jovem, Um Rosto sem Passado, Marcas de um PAssado, Cão de Briga, Medo da Verdade...

Veja ainda: "10 Filmes de Ricardo Darín"

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

10 Filmes Turcos


A Turquia tem um pé na Europa e outro na Ásia,muçulmanos e cristãos convivem sem grandes conflitos e sua cultura reflete isso.
Muitos turcos imigraram para países europeus, principalmente Alemanha, Grécia e Itália e, mesmo fora de seu país, continuaram a produzir filmes sobre a cultura turca,
O cinema turco tem uma longa história, floresceu a partir dos anos 1950 ao redor da rua Yeşilçam em Istambul, que virou símbolo do seu cinema.
A partir da década de 70, período conturbado por diversos golpes de estado, o cinema começou a perder espaço para a televisão, produzindo menos filmes, caindo de 300 filmes lançados em 1973 para cerca de dois a três por ano na década de 90. Alguns deles eram muito bons, mas outros, em especial paródias de super heróis ocidentais, criaram a nada honrosa fama de filmes trash made-in-turkey.
Neste século XXI, sua indústria cinematográfica começa a recuperar-se, produzindo grandes filmes, reconhecidos e premiados em todo mundo. 
Aqui está uma lista com 10 dos melhores filmes turcos que assisti.

1.  Meu Pai e Meu Filho (de Çagan Irmak, 2005um jornalista cuida sozinho de seu filho de 8 anos em Istambul após a morte da esposa no parto. perseguido pelos militares e com problemas de saúde, resolve voltar para a fazenda de sua família no interior e reconciliar-se com seu pai, com quem não fala desde que mudou-se para estudar. um filme belíssimo sobre a paternidade, envolvente e muito comovente)

2.  Era uma Vez na Anatólia (de Nuri Bilge Ceylan, 2011. um grupo composto por um promotor, policiais, um legista, dois coveiros e um criminoso percorrem durante a noite, as colinas da Anatólia até o limite da cidade, em busca do corpo de um homem assassinado. um estudo sobre as relações humanas, aparentemente prosaicas, mas muito complexas. prêmio do juri em Cannes e um grande filme)

3.  Yol, o Caminho (de Yılmaz Güney, 1982. conta a história de um grupo de prisioneiros curdos, que após serem libertados, têm que enfrentar uma longa viagem e os problemas que ficaram em suas casas. o roteiro é uma biografia do diretor curdo Güney, que foi ator, o maior astro do cinema turco nas décadas de 60 e 70, e que passou boa parte de sua vida na cadeia, por opor-se ao regime militar. durante as filmagens Güney estava de volta à prisão, desta vez cumprindo pena por assassinato. e quem comandou as captações foi seu assistente Şerif Gören. Güney então fugiu da cadeia e exilou-se em Paris, onde editou e finalizou sua obra-prima. descoberto pelo Ocidente, ganhou a Palme d'Or de Cannes. dois anos mais tarde, morreu de câncer aos 47 anos)

4.  Distante (de Nuri Bilge Ceylan, 2002. um fotógrafo de meia-idade, que vive sozinho e isolado na sua rotina em Istambul, é obrigado a hospedar um primo que segue seus passos e imagina que irá conseguir trabalho num navio que o leve para fora do país, mas como é inverno não consegue e a relação entre os dois começa a ficar difícil. vencedor do prêmio do juri em Cannes,  também premiou os dois ótimos atores Muzaffer Özdemir e Emin Toprak, que morreria naquele mesmo ano num acidente de carro aos 28 anos) 

5.  Ask Tesadüfleri Sever / Love Likes Coincidences (de Ömer Faruk Sorak, 2011. um homem e uma mulher, que nasceram no mesmo dia, lado a lado, numa maternidade de Ancara, se reencontram várias vezes ao longo de suas vidas sem se dar conta disso. um eficiente drama romântico, que arranca lágrimas, apesar dos inevitáveis clichês. como é comum nos filmes turcos, é muito focado nas relações familiares, que permite personagens simpáticos e marcantes, muito bonito)

6.  Um Doce Olhar (de Semih Kaplanoglu, 2010. a vida tranquila no campo, sob o ponto de vista de um garoto de seis anos, até o dia que seu pai não retorna de seu trabalho de colher mel na floresta local. doce e triste, um filme que leva facilmente às lágrimas. ganhou o Urso de Ouro em Berlim)

7.  A Conquista de Constantinopla (de Faruk Aksoy, 2012. superprodução épica de visual impressionante e batalhas bem coreografadas, contando a heroica conquista de Constantinopla pelo sultão Maomé II em 1453, que marcou a tomada de controle do Mediterrâneo oriental pelos otomanos e o fim do império Bizantino. a história contada pelo lado dos vencedores e sem a influência de Hollywood, com algumas liberdades históricas, mas muito interessante. levou três anos para ser feito ao custo aproximado de 17 milhões de dólares)

8.  At, o Cavalo (de Ali Özgentürk, 1962. um homem e seu filho pequeno deixam a vida miserável em sua cidadezinha no interior para tentar algo melhor em Istambul. o pai compra um carrinho de verduras e tenta vendê-las nas ruas, mesmo sem licença. enquanto ele sonha em ganhar dinheiro para poder colocar o menino na escola, o garoto sonha comprar um cavalo para ajudar o pai. o filme tem várias semelhanças com 'O Ladrão de Bicicletas' de DeSica, incluindo os revezes. um filme bom e triste)


9.  Gönül Yarasi / Mágoa (de Yavuz Turgul, 2005. um professor idealista, trabalhando por 15 anos numa comunidade rural pobre, se aposenta e volta a viver em Istambul. fazendo um bico como motorista de taxi, conhece uma cantora de casa noturna, que tem uma filha e é assombrada pelo abusivo ex-marido. um filme triste sobre pessoas tendo que lidar com as feridas causadas por suas escolhas no passado)

10.  Masumiyet / Inocência (de Zeki Demirkubuz, 1997. um jovem sai da prisão contra sua vontade após cumprir sua pena. sem perspectivas e quase sem familiares, que perdeu num terremoto, ele hospeda-se num hotel degradado, onde conhece uma prostituta, seu marido e a filha surda. um retrato da Turquia empobrecida do fim do século, num filme angustiante) 

Menções honrosas: 
 O Banho Turco (de Ferzan Ozpetek, 1997. nascido em Istambul, o bom diretor gay Ozpetek mudou-se adolescente para Roma, na Itália, onde construiu sua carreira. embora seus filmes tenham ligação com o país natal, e faça parte de diversas listas, não os considero turcos. aqui um italiano herda um imóvel de uma tia em Istambul. deixa a esposa na Itália, para vender a casa, mas descobre que tratava-se de um 'hamam', uma antiga casa de banhos. apaixona-se pela cidade, pela cultura e por um jovem turco)

 Contra a Parede / Do Outro Lado (de Fatih Akin, 2004 e 2007. no caminho oposto de Ozpetek, Akin nasceu em Hamburgo - Alemanha, de família turca, mas faz filmes sobre a cultura de seus ancestrais. o primeiro filme conta a tumultuada história de amor entre dois jovens descendentes, que se casam por conveniência, mas decidem viver juntos numa relação aberta e mal resolvida. no outro filme, uma jovem desaprova a relação de seu pai viúvo com uma prostituta, até descobrir que ela se esforçava para enviar dinheiro para custear os estudos da filha na Turquia. ambos os filmes são excepcionais e importantes para entender a vida da comunidade imigrante turca na Alemanha)

Veja ainda:"10 Filmes Iranianos"


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails