sábado, 3 de janeiro de 2015

10 Filmes com Atores que Morreram no 2º Semestre de 2014


Os atores, quando morrem, ficam vivos em suas obras. 
Mas quando eles nos deixam, sentimos muita falta do que eles ainda teriam pos nos trazer.
O segundo semestre de 2014, obviamente, levou muitos bons atores e atrizes e esta é uma pequena lista de alguns dos mais reconhecidos deles.
Lembro que não fazem parte desta lista diretores, como Mike Nichols, Andrew V.McLaglen e George Sluiter, nem roteiristas como Glen A. Larson, produtores como Menahem Golan ou celebridades como Joan Rivers. Traz apenas atores.
Veja quem foram eles, na ordem de data de falecimento:

1.  James Garner - O Romance de Murphy (19/07. aos 86 anos. estrela de várias séries de televisão desde 'Maverick' nos anos 1950 e 'Arquivo Confidencial' nos anos 1970, Garner ainda participou de dezenas de filmes, como 'Vitor ou Vitória?', 'Diário de uma Paixão', 'Cowboys do Espaço' e 'Fugindo do Inferno', mas foi no papel do fazendeiro viúvo Murphy, no filme de Martin Ritt que recebeu uma indicação ao Oscar)

2.  Robin Williams - Sociedade dos Poetas Mortos (11/08. aos 63 anos. a morte precoce de Williams foi especialmente chocante. um ator excepcional, que ainda tinha muito o que mostrar. o personagem que mais me marcou de sua carreira foi o professor rebelde de 'Sociedade dos Poetas Mortos'. para saber mais sobre sua carreira, clique aqui!)

3.  Richard Attenborough - Jurassic Park (24/08. aos 90 anos. lord Richard atuou em quase uma centena de filmes desde a década de 1940, mas foi como diretor que ganhou notoriedade e o Oscar por Gandhi. no papel do bilionário dono do parque de dinossauros, tornou-se mais conhecido das novas gerações)

4.  Richard Kiel - 007 O Espião que me Amava (10/09. aos 74 anos. com 2m17 de altura, o americano Kiel tinha tudo para dar errado no cinema. no entanto, seu personagem Jaws, vilão de dois filmes da série 007, que, com seus dentes de aço, tornou-se um ícone dos anos 1970. manteve-se ativo por mais de 50 anos, participando de dezenas de filmes e séries de televisão)

5.  Lauren Bacall - À Beira do Abismo (16/09. aos 89 anos. americana, filha de judeus poloneses, Lauren - ou Betty Joan Perske - é uma das maiores estrelas da história do cinema. com sua beleza avassaladora e voz rouca, tornou-se ícone da moda. foi casada com Humphrey Bogart, com quem teve dois filhos. dentre seus mais de 70 filmes, de 'Aventura na Martinica', passando por 'Como Agarrar um Milionário' até 'Dogville', ' destaco um dos clássicos do cinema noir, onde ela era a bela e misteriosa filha do contratante do detetive Philip Marlowe - Bogart)

6.  Hugo Carvana - Vai Trabalhar Vagabundo (04/10. aos 77 anos. a carreira de Carvana se confunde com a história do cinema brasileiro. começou sua carreira como coadjuvante nas chanchadas da Atlêntida, esteve no cinema novo, dirigido por Glauber Rocha e nos filmes mais engajados dos anos 1970. fez novelas e nos últimos anos estrelou e dirigiu várias comédias. talvez seu personagem mais marcante tenha sido o do típico malandro carioca de 'Vai Trabalhar Vagabundo', também escrito e dirigido por ele, que lhe valeu muitos prêmios. ele fará falta)

7.  Roberto Gomez Bolaños - Chaves (28/11. aos 85 anos. o ator, escritor, compositor e diretor mexicano participou de alguns filmes em seu país, mas em 1972 criou seu grande personagem, o garoto El Chavo del Ocho, ou Chaves, como ficou famoso no Brasil. no ano seguinte, surgiu o anti-heroi Chapolin Colorado. juntos com sua trupe, são cultuados até hoje em países latino americanos)

8.  Virna Lisi - A Rainha Margot (18/12. aos 78 anos. musa do cinema italiano, Virna começou a carreira ainda adolescente, tendo estrelado mais de uma centena de filmes, séries de televisão e peças de teatro. ganhou dezenas de prêmios, o mais importante, o de melhor atriz em Cannes 1994, por sua interpretação de Catherine de Médicis, no belo 'A Rainha Margot')

9.  Billie Whitelaw - A Profecia (21/12. aos 82 anos. a inglesa Billie começou sua carreira no rádio aos 11 anos. no teatro tornou-se musa e a maior intérprete de Samuel Beckett, estrelou mais de 100 produções no cinema e na TV, ganhando vários prêmios, incluindo dois BAFTAs. seu personagem que me marcou foi a assustadora babá de 'A Profecia')

10.  Luise Rainer - Terra dos Deuses (30/12. aos 104 anos. uma das lendas do cinema, a alemã Rainer foi a primeira atriz a ganhar o Oscar dois anos seguidos, em 1936 por 'Ziegfeld - O Criador de Estrelas' e no ano seguinte pelo papel de uma chinesa em 'Terra dos Deuses'. por não aceitar ter sua carreira controlada pelos produtores, Luise fez pouco mais de uma dezena de filmes, o que nos privou do seu grande talento)

Outros importantes atores: 

Elisabeth Peña (Lone Star), Bill Kerr (Gallipoli), Misty Upham (Rio Congelado), Rosemary Murphy (O Sol é para Todos), Geoffrey Holder (007 Viva e Deixe Morrer), Elaine Stritch (Outono em Nova York), James Shigeta (Duro de Matar), 

Gottfried John (007 contra GoldenEye), Edward Herrmann (Riquinho), Ken Takakura (Chuva Negra), Polly Bergen (Almas nas Trevas), Marie Dubois (Atirem no Pianista), Warren Clarke (Laranja Mecânica) e Donatas Banionis (Solaris).

Veja ainda: "10 Filmes com Atores que Morreram no 1º Semestre de 2014"





quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Os 10 Melhores Filmes Brasileiros de 2014


O cinema nacional está cada vez mais maduro.
Os filmes ficaram melhores tecnicamente, os roteiros mais apurados, os diretores mais autorais e cada vez é maior e mais plural o número de lançamentos.
Sempre separo minhas listas de melhores entre nacionais e internacionais, mas neste ano, os brasileiros poderiam perfeitamnete dividir a lista geral.
Não vi todos os filmes nacionais lançados nos cinemas em 2014, mas vi a maior parte deles. Por isso mesmo, a lista e 10 poderia ser bem maior.
Mas confira meus favoritos, quem sabe você não se aniuma a ver mais dos nossos filmes.

1.  Praia do Futuro (Karim é um cineasta raro. Ele não tem medo de deixar lacunas na sua narração para que as completemos ou não, segundo nosso repertório. O roteiro dele e de Felipe Bragança se divide em três capítulos bem definidos e faz questão de subverter as tolas regras de 'storytelling', tão em moda. O filme está ainda repleto de lindos planos cheios de significado implícito e sequências fortes, de uma secura aterradora. Wagner Moura entrega a melhor interpretação de sua carreira, com uma angústia contida sempre prestes a explodir. Seu encontro com o irmão já adulto - Jesuíta Barbosa excepcional - traz algumas das melhores cenas do cinema, transmitindo ternura e raiva com a mesma intensidade. Nada menos que uma obra-prima.)

2.  Ventos de Agosto (Um retrato quase documental e, ao mesmo tempo, metafórico da vida cotidiana numa comunidade isolada de Alagoas. Cada personagem entrende o isolamento do seu jeito, a menina que viveu na cidade e está presa, condenada a cuidar da avó, mas mantém seus elos através do rock pesado, o bronzeamento com coca-cola e a prática de tatuagem nos porcos. O rapaz, preocupado em manter seus mortos sob a terra e a levar embora os mortos de fora. A vida na quarta curva a esquerda depois do rio. Belo, belíssimo!)

3.  O Lobo Atrás da Porta (Desde 'Rashomon', filmes narrados sob diferentes pontos de vista se tornaram praticamente um gênero. O suspense de Fernando Coimbra utiliza-se deste recurso, mas deixa um pouco a desejar justamente na montagem. O principal flashback é muito longo e precisava de mais retornos ao presente para pontuar melhor a tensão da opção narrativa. Um outro descuido é de produção, e que parece bobo: num filme com tantos planos fechados, a protagonista nunca muda o penteado e quase nunca muda de brinco, apesar do longo período de tempo abordado. Apesar dos poucos escorregões, a história é fortíssima, que choca a cada revelação e as interpretações são ótimas, com destaque para Leandra Leal. Uma obra que mostra o amadurecimento mais que bem vindo do nosso cinema.)

4.  Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (Baseado num premiado curta-metragem.do diretor e roteirista Daniel Ribeiro, que nesta versão pode dar o ritmo necessário para que a história se desenrolasse. O resultado é um filme simples e singelo. A história todos já conhecem: um adolescente cego, busca sua independência e sua sexualidade, quando se apaixona por um novo aluno recèm chegado à sua escola)

5.  De Menor (Rita Batata é uma defensora pública de menores infratores e vive com seu irmão caçula. Órfãos, os dois têm um relacionamento de muita cumplicidade, até o dia em que o rapaz comete um delito e torna-se réu na Vara da Infância onde ela trabalha.Um belo exemplar do novo cinema brasileiro. Num tom naturalista, constrói sua tese e envolve o espectador com uma câmera ágil e planos pouco usuais. O cenário, a cidade de Santos, é raro e mais um ponto a favor do filme. Estreia promissora da diretora Caru Alves de Souza em longas.)

6.  Os Amigos (Claramente influenciada pelo cinema francês - Varda e Resnais -, a diretora Lina Chamie constrói uma narrativa fragmentada e poética do dia de um arquiteto - Marco Ricca -, a partir da notícia da morte de um amigo de infância. Mistura memórias, nonsense e realidade, criando diversos detalhes originais na trama. Seja bem vinda a liberdade poética ao cinema nacional!)

7.  Boa Sorte (João Pedro Zappa é um adolescente viciado em "frontal com fanta", combinação que ele fantasia o tornar invisível. É internado pelos pais e na clínica ele conhece uma garota mais velha - Deborah Secco -, que além de dependente química, é portadora de HIV e hepatite. Eles se apaixonam, mas... Ao escolher o interior de uma clínica de internação psiquiátrica, a estreante Carolina Jabor cria um cenário poderoso, quase um personagem. O filme não é perfeito, mas graças ás boas atuações, o resultado é muito simpático)

8.  Trinta (Ótima cinebiografia, ainda que um tanto convencional, de um personagem icônico da cultura brasileira. Matheus Nachtergaele dá um show de interpretação, não imitando, mas recriando seu Joãosinho Trinta. Ótimo elenco de apoio e uma produção excelente, da direção de arte de Daniel Flaksman à trilha de André Abujamra, tudo funciona perfeitamente. O roteiro é bem amarrado, embora não ouse muito, acerta ao concentrar-se no turning point do biografado, o carnaval da Salgueiro de 1974. Belo filme.)

9.  Riocorrente (O cult-film do ano, construído sobre símbolos e metáforas, em que a tensão das relações é o fio condutor, mais do que propriamente a história que conta. Seus personagems se confundem, talvez como partes de uma única consciência e mesclam-se com o ambiente. De tão conceitual, a obra de Paulo Sacramento é difícil de ser compreendida pelo espectador médio, mas é um exercício bem construído e muito interessante e oportuno.)

10.  Alguém Qualquer (Quantos são os Zés que passam pela nossa vida e nós nem damos conta? Pessoas que levam vidas simples, dedicadas ao trabalho, vivendo e morrendo "pela vontade de deus". Logo antes do início do filme já temos uma pista do que virá a seguir, produzido por um certo Instituto Stanislavsky, pressupõe atores de método, o que realmente acontece. Tristan Aronovich, diretor, ator, roteirista, compositor e editor, constrói uma obra obviamente pessoal. Seu personagem é caricato, mas num mundo normal, ele também é verossímil e comovente. O filme tem alguns escorregões, especialmente no final redentor, mas  o resultado é acima da média. Trata-se de um filme pequeno, universal e emocionante. A trilha bem encaixada provoca lágrimas inevitáveis. Deixe-se levar!)

Outros ótimos lançamentos nacionais de 2014:

11. Apneia 
12. O Menino e o Mundo
13. Entre Vales
14. Entre Nós
15. Quando Eu Era Vivo 

Veja ainda: "Os 10 Melhores Filmes Internacionais de 2014"


Os 10 Melhores Filmes de 2014


Todos os anos eu faço no Listas de 10 a minha lista pessoal de melhores filmes. 
2014 foi um ano com muitos bons filmes, mas poucos podem ser chamados de obras primas. Mesmo sem tantos destaques, não é fácil chegar a apenas dez.
Como critério, os filmes que participam precisam ter estreado nos cinemas brasileiros ao longo do ano, por isso não valem os downloads e nem as mostras e festivais.
Aqui vão os 10 melhores filmes estrangeiros de 2014, na minha opinião
(Os nacionais, com ótimos representantes, estarão numa lista à parte - clique aqui). 
Espero que gostem e descubram novos filmes.

1.  Boyhood, da Infância à Juventude (Já foram feitos documentários com a mecânica de acompanhar a vida de seus protagonistas ao longo do tempo, mas até onde eu sei, isso nunca aconteceu antes num filme de ficção. A chance de dar tudo errado num projeto como "Boyhood" era imenso, mas Richard Linklater assumiu os riscos e colheu um resultado avassalador. A história singela se confunde nostalgicamente com a de todos nós. Contempla o ciclo da vida de uma família pelos olhos de um de seus membros, um garoto que cresce e amadurece diante de nossos olhos. A escolha de Ellar Coltrane para o papel central não poderia ter sido mais feliz. Além, de carismático e bom ator, ele fica fisicamente cada vez mais parecido com seus pais fictícios, especialmente com o "pai", Ethan Hawke. O roteiro, muito bem estruturado, não se foca em viradas na trama, reservadas aos tropeços amorosos da mãe, mas na fluidez da vida como ela é. As dores do crescimento são amenas e absolutamente naturais. Linklater fez um filme simples, mas mostrou sensibilidade ao captar o olhar do garoto, observando seus pequenos dramas, nos transmitindo imediata empatia pelo personagem. Mas talvez seu grande mérito esteja em manter a unidade em meio a tanto material filmado, num trabalho de planejamento impecável. Num tempo em que a indústria do cinema parece repetir suas fórmulas num moto-perpétuo, "Boyhood" é um sopro de renovação muito bem vindo.)

2.  A Imagem que Falta (Documentário orginal, ressaltando como uma cultura foi perdida e destruída durante o insano regime comunista do Cambodja, que durou apenas de 1975 a 1979, mas deixou marcas profundas na população que sobreviveu ao período. A ideia do filme foi reconstruir com bonecos de barro e madeira as imagens perdidas ou nunca captadas do passado e das atrocidades de Pol Pot. O recurso não ameniza o choque, já que de certa forma tangibiliza a história. Uma filme brilhante e necessário.)

3.  Ela (Joaquin Phoenix é um escritor, que acaba de comprar um novo sistema operacional desenhado para compreender todas as suas necessidades. Tímido e solitário, ele acaba se apaixonando pelo sistema, que tem a voz de Scarlett Johansson. O roteiro brilhante e original do siretor Spike Jonze aborda a solidão das pessoas no mundo cada vez mais moderno e individualista . Junto com a ótima atuação de Phoenix, consegue tornar crível uma premissa aparentemente descabida.)

4.  Ida (Uma jovem noviça polonesa, prestes a ser ordenada freira, é forçada pela madre superiora a conhecer o que resta da sua família, que ela nunca conheceu, antes de fazer seus votos. O contato com uma tia, trará muitas revelações surpreendentes. sobre quem é e quem poderia ter sido. Uma montanha russa de emoções, a qual ela percorre com emoção contida, quase como espectadora. Um filme lindo e delicado, feito em preto e branco.)

5.  O Passado (Mais um belo filme do diretor iraniano Asghar Farhadi, de 'A Separação', outra vez focando a dificuldade de comunicação entre as pessoas que leva a mal-entendidos que acabam em rupturas e traumas insolúveis. Um marido iraniano volta à França para assinar os papeis de divórcio com sua esposa francesa, de quem já estava separado. Ao chegar descobre que ela está apaixonada por outro homem. A construção do roteiro é brilhante e os intérpretes - Ali Mousaffa e Bérénice Bejo - são perfeitos. Grande filme!)

6.  Mommy (A palavra é: energético. O cinema de Xavier Dolan tem uma energia que parecia esquecida no cinema industrial do hemisfério norte. Tudo bem se ele recorre ao melodrama, tudo bem se erra a mão às vezes, mas consegue nos deixar desconfortáveis o tempo todo, a espera da próxima explosão de Steve. O uso do formato de tela quadrado, se expandindo nos raros momentos de felicidade, numa metáfora óbvia, é a marca pessoal de um diretor que quer estar presente e assinar a obra, mostrando o quanto pensa em cada plano. Pode-se gostar dele, pode-se odiar, mas não dá para ficar imune.)

7.  O Lobo de Wall Street (Martin Scorsese troca seus tradicionais mafiosos por personagens - reais - do mundo da especulação financeira de Nova York. Ao atualizar o cenário, mostra a mesma essência amoral e abusiva de seus personagens. Leonardo DiCaprio e Jonah Hill estão fantásticos em suas composições. Edição, roteiro, elenco, tudo funciona à perfeição nesta comédia ácida e energética)

8.  Eu, Mamãe e os Meninos (Comédia inteligentíssima, vencedora dos principais prêmios César do ano. É um projeto pessoal de Guillaume Gallienne, que escreveu, dirigiu e interpretou - mãe e filho - a história sobre uma mãe de classe média-alta, que trata um dos filhos como homossexual desde criança, numa relação conflituosa, que interfere na formação da identidade e na sexualidade do garoto. Original e divertido, uma bela obra)

9.  Oslo, 31 de Agosto (Ao sair de uma internação para se recuperar da dependência de drogas, Anders, de 34 anos, se percebe sem esperança e excluído de um mundo ao qual ele não deseja mais perceber, A excelente atuação de Anders Danielsen Lie nos causa empatia e sua dor vira nossa dor. O diretor dinamarquês Joachim Trier cria planos magníficos, como a sequência do café, onde o personagem escuta partes de conversas ao seu redor. Lançado em 2011, chegou com atraso no Brasil, mas nunca é tarde para um grande filme.)

10.  Instinto Materno (A relação entre mãe e filho, de tão forte e poderosa, pode muitas vezes tornar-se destrutiva. Cornelia - a excelente Luminita Gheorghiu - protege tanto o filho adulto, que quando ele realmente necessita resolver um problema sério, não sabe mais como agir e acaba caindo de volta sob sua influência sufocante. Um filme simples e intenso. Vencedor do Urso de Ouro em Berlin. Adição de última hora a esta lista, por influência do amigo Vítor e do seu ótimo blog Sessões de Cinema)

Outros ótimos filmes de 2014: 

11. O Grande Hotel Budapeste 
12. Relatos Selvagens
13. Heli
14. Viva a Liberdade
15. Vidas ao Vento
16. Sob a Pele
17. Inside Llewyn Davis
18. Amar, Beber e Cantar
19. Amantes Eternos
20. Garota Exemplar

21. O Abutre
22. Nebraska
23. Michael Kohlhaas
24. Guardiões das Galáxias
25. Mesmo Se Nada Der Certo
26. A Bela e a Fera
27. Uma Vida Comum
28. Gloria
29. Filha Distante
30. O Enigma Chinês

Veja também: "Os 10 Melhores Filmes Brasileiros de 2014"





quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

10 Filmes sobre o Papai Noel


Papai Noel existe!
O personagem foi inspirado no bispo São Nicolau e seus trajes clericais foram substituídos pelo visual criado pela Coca-Cola nos anúncios de 1930.
Tradicionalmente, ele percorre os lares de todo o mundo distribuindo presentes às crianças bem comportadas na noite de Natal.
Ele habita o Polo Norte - ou a Lapônia, segundo fontes oficiais - numa vila onde emprega duendes para fabricar os presentes e renas voadoras, que puxam seu trenó.
No cinema, Papai Noel é um velho conhecido. Mas nesta lista, ele não aparece apenas como alguém fantasiado, ele é o próprio bom velhinho.

1.  De Ilusão Também se Vive (Kris Kringle - Edmund Gwenn -, um idoso de longas barbas brancas, consegue um emprego como Papai Noel na Macy's de Nova York. mas ele começa a preocupar os funcionários da loja quando afirma que ele é o próprio Noel. por conta disso será examinado por médicos e até levado ao tribunal para provar o que diz. maior clássico do cinema natalino, o "Milagre na Rua 34" teve várias refilmagens)

2.  Expresso Polar (um garoto está acordado na véspera de Natal, mas acha que já não tem mais idade para acreditar em Papai Noel. ele espera que algo aconteça para renovar sua crença. quando ele ouve o barulho de um trem ao lado da sua casa. o condutor o convida a entrar com destino ao Polo Norte, onde ele vai conhecer o próprio Noel. impressionante mistura de animação com atores, dirigida por Robert Zemeckis)

3.  Pode me Chamar de Noel (Whoopi Goldberg e uma mal humorada gerente que contrata um papai noel para sua loja. acontece que o novo contratado é o verdadeiro Noel, que está prestes a se aposentar depois de 200 anos de trabalhos, mas, para isso, terá que escolher um substituto... um daqueles filmes onde a atriz ainda esbanja carisma)

4.  A Origem dos Guardiões (quando o Bicho Papão tenta transformar todos os sonhos das crianças em pesadelos, um grupo de guardiões composto pelo Papai Noel, o Coelhinho da Páscoa, a Fada do Dente e Sandman terão que juntar forças com o garoto Jack Frost, que controla o inverno e ainda está descobrindo seus poderes. Noel, aqui chamado de North é um velho cossaco russo, com as palavras "bem comportado" e "mal comportado" tatuadas em seus braços. uma ótima animação da Dreamworks)

5.  Um Duende em Nova York (Will Ferrell foi criado como um elfo pelo Papai Noel no Polo Norte, desde menino. seu sonho é voltar à Nova York e conhecer o pai biológico, que ele descobre ser um velho sovina, que não acredita no espírito natalino. outro clássico das sessões da tarde)

6.  Operação Presente (na noite de Natal, o jovem Arthur descobre que seu pai - o Papai Noel - esqueceu de entregar um presente e sai numa aventura ao redor do mundo para tentar entregar esse presente e provar que pode ser um papai noel melhor do que seu irmão que está treinando para o cargo. uma animação cativante)

7.  Meu Papai é Noel (Papai Noel sofre um acidente com seu trenó no telhado da casa de um vendedor de brinquedos - Tim Allen -, que se vê obrigado a substitui-lo nessa emergência. ao assumir a função, ele percebe que começa a engordar e ver sua barba crescer rapidamente, transformando-se, ele próprio, no novo Noel)

8.  Papai Noel Existe (na época de Natal, uma companhia petrolífera começa a explorar um grande lençol no Polo Norte e irá provocar uma explosão que poderá destruir a fábrica secreta de Papai Noel - Art Carney. a esposa de um engenheiro descobre o que está prestes a acontecer e tenta ajudar o velhinho. telefilme de 1985, obviamente datado)

9.  Titio Noel (Fred - Vince Vaughn - é o irmão mais velho e trambiqueiro do Papai Noel - Paul Giamatti -, que sempre viveu à sua sombra. depois de se meter em mais uma encrenca, é preso e para pagar a fiança terá que trabalhar fabricando brinquedos com Noel no Polo Norte. diferente)

10.  Santa Claus: A Verdadeira História de Papai Noel (na primeira metade do filme, há centenas de anos, conhecemos um velho - David Huddleston - que torna-se Papai Noel, ganhando imortalidade ao decidir dedicar-se a distribuir presentes a todas as crianças do mundo. na segunda parte, na época atual, o chefe dos elfos - Dudley Moore - combate um malvado fabricante de brinquedos - John Lithgow -, que tenta tirar Noel do mercado. uma superprodução dos anos 80, que não é de todo ruim)

bônus:  Papai Noel Conquista os Marcianos (num dos piores filmes da história do cinema, dois dirigentes marcianos, preocupados com o fato de seus filhos verem muita televisão da terra, decidem sequestrar Papai Noel, porque para distribuir seus presentes também em Marte. feito em 1964, faria Ed Wood ou Micheal Bay corarem de vergonha)

Outros filmes: Milagre na Rua 34, Papai Noel às Avessas, O Estranho Mundo de Jack, O Grinch, Papai Noel Trapalhão, Rudolph, a Rena do Nariz Vermelho,...

Veja ainda: "10 Filmes sobre o Natal" e "10 Filmes sobre Jesus Cristo".





LinkWithin

Related Posts with Thumbnails