segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Os 10 Melhores Filmes Brasileiros de 2016


2016 não foi um grande ano para o cinema nacional, que teve 126 lançamentos, mas nenhum realmente memorável.
Infelizmente, o grande sucesso do ano foi uma ridícula condensação de novela bíblica, que teve sua bilheteria garantida pelas igrejas envolvidas na produção.
Neste ano destacaram-se as interpretações de atores como Júlio Andrade, Sônia Braga ou Glória Pires. Alguns dos filmes surpreenderam tecnicamente, alguns roteiros foram bem acabados e a variedade de temas continua sendo a maior prova de vitalidade do nosso cinema.
Não vi todos os filmes nacionais lançados nos cinemas em 2016, nem conseguiria, mas vi boa parte deles. 
Confira meus favoritos do ano! Prestigie os filmes brasileiros!

1.  Boi Neon (Juliano Cazarré é um vaqueiro de curral que viaja pelo Nordeste e sonha largar tudo para iniciar uma carreira como estilista..o diretor Gabriel Mascaro foge da narrativa convencional e se concentra num instantâneo da vida de seus personagens, desconstruindo estereótipos do mundo rude dos rodeios, através da vaidade e dos sonhos dos seus integrantes. uma experiência gratificante, um melhor nacional do ano)

2.  Ponto Zero (um grande filme sobre o ponto zero entre a infância e a vida adulta de um garoto, que parte de uma atmosfera hostil e disfuncional para a aventura da vida adulta, tudo de forma lírica e simbólica. tecnicamente impecável, onde se destacam a ótima trilha sonora e o desenho de som. boa estreia em longas de José Pedro Goulart)

3.  Mãe Só Há Uma (Anna Muylaert é uma cineasta privilegiada por conseguir fazer filmes quase todos os anos, o que a leva a uma clara evolução técnica de um para o seguinte. este é seu melhor filme, enxuto, envolvente e menos maniqueísta que o anterior. seu grande trunfo está em não apelar ao melodrama fácil e centrar o roteiro no garoto - interpretado pela revelação Naomi Nero. muito bom filme. que a diretora continue evoluindo!)

4.  Aquarius (prejudicado pelos "protestos" marqueteiros de seu diretor, o filme não é ruim, mas parte de uma premissa equivocada de que devemos nos solidarizar com a teimosia chata da personagem central. os vilões são caricatos e atingem um clímax risível no final, quando confrontados em seu escritório. dito isso, o filme só atinge um outro nível, graças à interpretação delicada de Sônia Braga. expressiva e intensa, ela toma cada milimetro da tela, quando em cena. há de se destacar ainda a linda trilha sonora, composta de clássicos. embora inferior ao seu filme de estreia, o cineasta Mendonça Filho mostra grande talento em sua mise-en-scène)

5.  Mais Forte que o Mundo: A História de José Aldo (melhor que Rocky e o melhor filme sobre MMA já feito até hoje - o que nem era tão difícil. o bom diretor Afonso Poyart coreografa espetacularmente as lutas e as cenas de ação. José Loreto está ótimo no papel central. o filme é pouco eficiente nas subtramas, especialmente no conflito um tanto onírico com o 'playboy' de Rômulo Neto. mas, na média, está muito acima da média)

6.  Campo Grande (uma mulher de classe média alta carioca é procurada por um casal de crianças que são deixadas à sua porta apenas com seu nome num pedaço de papel.sem saber onde encontrar pela mãe, os leva para um orfanato, mas o menino foge e volta a procurá-la. apesar do roteiro com algumas pontas soltas e problemas como o som direto. a opção da diretora Sandra Kogut pelo naturalismo funciona bem. o elenco é ótimo, com destaque para Carla Ribas e o garoto Ygor Manoel, muito expressivo. ao final consegue provocar empatia)

7.  Maresia (um raro filme brasileiro sobre arte e sua força. o destaque é a atuação de Júlio Andrade em papel duplo, do perito que se confunde com o artista em que se especializou. a trama central mantém o suspense, revelado aos poucos, mas traz algumas situações periféricas mal resolvidas. no geral, um bom filme)

8.  Nise: O Coração da Loucura (biografias de cientistas tendem a ser superficiais. mas a personagem da doutora Nise da Silveira é forte o bastante para instigar o interesse. para efeitos de roteiro, claro que o desenvolvimento dos pacientes é muito simplificado. a atuação sempre precisa de Glória Pires sustenta o filme, que ainda tem ao seu favor uma direção de arte caprichada e bons coadjuvantes).

9.  Tamo Junto (uma comédia de situação com ótimos diálogos, uma estrutura coerente, bons atores, mas... falta emoção para envolver o espectador. no roteiro um rapaz termina um relacionamento e se vê solteiro pela primeira vez em muito tempo, mas logo descobre que o novo estado civil não é tão divertido quanto ele idealizava. o diretor Matheus Souza, tem desenvolvido uma filmografia autoral e está evoluindo)

10.  Amores Urbanos (os bons diálogos, a entrega dos jovens atores e a ótima trilha de Thiago Pethit compensam com sobra a direção irregular de Verra Egito e a falta de um bom storytelling. no geral é um retrato bastante crível da juventude paulistana e um bom representante do cinema nacional independente e urbano)

Decepção do Ano:  Pequeno Segredo (escolhido para representar o país no Oscar num processo polêmico, o drama de David Schurmann, baseado na história de sua família, foi a grande decepção de 2016. o roteiro é mal feito, com idas e vindas temporais que só servem para confundir e tirar qualquer chance de engajamento dramático. além disso uma sucessão de clichês tentam arrancar lágrimas a qualquer custo, culminando com um "amar é..." embalado por música sentimental. Júlia Lemmertz se esforça em dar credibilidade ao seu papel, enquanto a experiente Fionnula Flanagan derrapa num personagem grotesco. só se salvam Julia e a fotografia)

Menções honrosas:
- Elis
- Sob Pressão
- A Vizinhança do Tigre
- O Futebol 
- Zoom 
- A Luneta do Tempo
- De Onde te Vejo
- Trago Comigo
- Meu Nome é Jacque
- O Escaravelho do Diabo
- Para Minha Amada Morta
- Big Jato
- Menino 23
- O Silêncio do Céu
- A Frente Fria que a Chuva Traz
- Entre Idas e Vindas
- O Caseiro
- Mundo Cão
- Em Nome da Lei

Veja ainda: "Os 10 Melhores Filmes de 2016"





3 comentários:

  1. Aquarius, foi sem dúvida o melhor filme brasileiro do ano de 2016. Ele com certeza deveria está no topo da lista.

    ResponderExcluir
  2. para aquarius está na quarta posição,eu tenho medo dos outros filmes brasileiros,dessa lista,eu só vi aquarius e mais forte que o mundo,mais forte que o mundo,é infinitamente melhor que aquarius,mesmo tendo algumas falhas

    ResponderExcluir
  3. O filme aquarius pode ser definido por uma palavra nojento,o filme tem muitas cenas envolvendo cocô,o filme tem mais de 2 horas de duração,o filme poderia cortar 1 hora de duração que não faria nenhuma falta,o filme tem várias cenas desnecessárias,o filme tem várias cenas envolvendo sexo,eu até pensei que estava assistindo um filme pornô,as cenas de sexo no filme são completamente sem sentido,elas poderiam ter sido omitidas,que não fariam a menor falta,no final eu ainda tive uma esperança que o filme iria dar uma melhorada,mas acaba mostrando a imagem de um cupim e fim

    Qual é a necessidade de fazer um filme desses?

    eu pensei que seria um ótimo drama brasileiro,mas o filme não passa de um filme parado,sem sentido nenhum,esse filme poderia muito bem entrar na lista dos piores filmes brasileiros de todos os tempos,o cinema brasileiro desaprendeu como se faz um filme

    ResponderExcluir

Todo comentário do Listas de 10 será moderado para evitar abusos.
Por isso mesmo, não são publicados imediatamente. Seja paciente!
Ao final de seu comentário, identifique-se! É chato conversar com anônimos.
Obrigado!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails