domingo, 17 de janeiro de 2010

10 Filmes Dirigidos por Mulheres


Ainda não aconteceu de uma mulher levar o Oscar de direção.e apenas uma vez levou o Golden Globe.
Trata-se de um anacronismo estranho. Mulheres diretoras sempre se destacaram e muitas têm um trabalho sólido, que merece ser premiado.
No Brasil o número de diretoras quase equivale ao dos homens, mas isso não acontece no resto do mundo.
Selecionei uma pequena amostra de 10 filmes de mulheres diretoras, que já escreveram seus nomes na história do cinema.


1.  Kathryn Bigelow - Guerra ao Terror (ela disputou - e perdeu - os principais prêmios do Globo de Ouro com o ex-marido James Cameron. Bigelow tem uma carreira sólida em filmes de ação, como 'Caçadores de Emoção' e 'K-19: The Widowmaker'. em 'Guerra ao Terror' dirige com a câmera distante, num estilo quase documental, o que é essencial para a força do filme. brilhante)


2.  Barbra Streisand - Yentl (a atriz se converteu em diretora de 3 filmes de cinema: 'O Príncipe das Marés', 'O Espelho tem Duas Faces' e este 'Yentl', sua estreia, que valeu o primeiro - e único até aqui - Globo de Ouro de direção para uma mulher. neste caso, infelizmente, foi um claro exagero, pois o filme, apesar da bela fotografia é muito inverossímil e a própria Barbra como atriz principal jamais convence. para se ter uma idéia do absurdo de sua premiação, ela ganhou, entre outros, de Ingmar Bergman por 'Fanny e Alexander'...)


3.  Leni Riefenstahl - O Triunfo da Vontade (a cineasta favorita de Hitler foi uma das maiores criadoras de estilo da história do cinema. ideologias à parte, este documentário traz planos até então nunca vistos, que valorizavam a ascenção do partido nazista e a superioridade ariana. triste ela estar do lado errado da guerra, pois sua carreira acabou interrompida e ela passou o resto de sua vida dedicando-se à fotografia e ao mergulho. o desperdício de um enorme talento)


4.  Agnieska Holland - Olivier, Olivier (esta polonesa assina mais de 30 filmes e é uma de minhas favoritas. entre outros fez 'O Jardim Secreto', 'Eclipse de uma Paixão' e 'Filhos da Guerra', mas este 'Olivier, Olivier' é o melhor de todos. um garoto de 9 anos desaparece misteriosamente, desagregando sua família. 6 anos mais tarde surge um rapaz, que pode muito bem ser a ele em Paris, mas isso não é um final feliz, é apenas o começo de um conturbado drama familiar. excelente!)


5.  Sofia Coppola - Maria Antonieta (a filha de Francis Ford Coppola, estreou bebê em 'O Poderoso Chefão', mas converteu-se numa atriz medíocre. em compensação, encontrou-se como diretora de filmes inventivos e uma estética própria, demonstrada em 'As Virgens Suicidas' e 'Encontros e Desencontros', para o qual foi indicada ao Oscar de direção e ganhou o de roteiro. destaco a biografia pop da jovem nobre vienense, que se torna rainha da França, um dos pivôs da revolução. as canções modernas, combinadas com o visual suntuoso fazem deste, um filme muito original. em 2010 ela estará de volta com 'Somewhere')


6.  Mira Nair - Casamento à Indiana (a diretora indiana começou como atriz e depois dirigiu alguns documentários premiados. seu primeiro filme foi 'Salaam Bombay' foi indicado ao Oscar de filme estrangeiro. entre seus filmes estão 'Mississipi Masala', 'Feira das Vaidades' e o recente 'Amelia'. destaco 'Casamento à Indiana', uma divertida comédia sobre a cerimônia de um casamento tradicional, arranjado à pressas entre uma moça vinda de um relacionamento fracassado e um engenheiro indiano, que vive no Texas)


7.  Lina Wertmuller - Pasqualino Sete Belezas (esta italiana fez seus melhores filmes nos anos 1970,  mas se mantém ativa como diretora e roteirista. entre seus filmes de sucesso estão 'Mimi o Metalúrgico' e 'Tudo Certo Mas Nada em Ordem'. sua obra-prima, indicada a 4 Oscars - direção, roteiro, ator e filme estrangeiro -, é esta comédia onde Giancarlo Gianinni é um desertor do exército em plena segunda guerra, que é mandado para um campo de concentração e faz de tudo para sobreviver. em flashbacks ficamos conhecendo seu passado, em uma família com 7 irmãs sem atrativos - as sete belezas - e mais do seu caráter frouxo)


8.  Jane Campion - O Piano (a diretora neo-zelandesa começou nos curta-metragens, seu primeiro curta logo ganhou a Palma de Ouro em Cannes. dentre seus filmes de destaque, estão: 'Um Anjo em Minha Mesa' e 'Brilho de uma Paixão'. sua obra-prima, 'O Piano' ganhou diversos prêmios. foi o primeiro longa dirigido por uma mulher a ganhar a Palma de Ouro em Cannes, Campion ganhou o Oscar de roteiro, foi indicada como diretora e ainda viu suas atrizes ganharem como atriz principal e coadjuvante - Holly Hunter e Anna Paquin. conta a história de uma mulher muda, que, em meados do século 19, muda-se com seu novo marido, sua filha e seu amado piano para a Austrália. mas as coisas não são como ela imaginava. ela acaba vendendo o piano ao vizinho, a quem permite que continue tocando em troca de lhe dar aulas... grande filme)


9.  Penny Marshall - Tempo de Despertar (esta diretora nova-iorquina foi a primeira diretora a superar a casa dos 100 milhões de dólares nos EUA, com o filme 'Big, Quero Ser Grande' e a primeira a ter dois filmes nesta faixa com 'Uma Equipe Muito Especial'. seu melhor filme é este 'Tempo de Despertar', baseado no livro de Sacks, que conta a história de um neurologista - Robin Williams -, que consegue emprego num hospital onde vários dos pacientes estão em estado aparentemente catatônico, mas descobre que estão adormecidos e, se medicados, podem despertar. entre os pacientes está Robert De Niro, em grande interpretação)


10.  Margarethe Von Trotta - Os Anos de Chumbo (premiada diretora alemã de 'As Mulheres de Rosenstrasse' e 'Rosa Luxemburgo'. 'Os Anos de Chumbo' fala de duas irmãs - as excepcionais Barbara Sukowa e Jutta Lampe -, filhas de um pastor, que lutam por mudanças sociais na Alemanha de 1968, como a legalização do aborto. uma é repórter e outra participa de uma organização terrorista e acaba presa)

3 comentários:

  1. Desses todos acho q "O Piano" é o pior, ô filmesinho ruim...

    ResponderExcluir
  2. Faltam as diretoras argentinas: como Lucrecia Martel (O Pantano). Quanto a crítica acima ao "Piano", é tao sem fundamento quanto mal escrita.
    Faltaria Sally Potter, por Orlando...

    ResponderExcluir
  3. Realmente infeliz o comentário do Anônimo sobre O Piano. Mas, entre as diretoras internacionais eu colocaria a brasileira Anna Muylaert, que escreveu e dirigiu É Proibido Fumar, um ótimo filme.

    ResponderExcluir

Todo comentário do Listas de 10 será moderado para evitar abusos.
Por isso mesmo, não são publicados imediatamente. Seja paciente!
Ao final de seu comentário, identifique-se! É chato conversar com anônimos.
Obrigado!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails